Comer mal, meditar mais calmoso

23 de janeiro
Comer mal, meditar mais calmoso 1

Uma má alimentação durante os primeiros anos de vida, com muitas gorduras e açúcares, pode ficar ligada, desta forma, mostrou um novo estudo descritivo, com uma queda no desempenho culto da criança no momento que se encontre em idade universitária.

Ao contrário, aqueles que se nutrem na mais tenra infância, cheias de energia e nutrientes conseguem, em média, melhores resultados nos testes de inteligência que efetuam enquanto a educação Primária.

O estudo, dirigido desde a universidade de Leeds (Reino Unido), mostrou uma leve aliança em meio a uma melhor nutrição recebida aos 3 anos e a pontuação obtida nas provas de capacidade.

Esta relação, oferece uma certeza ainda "modesta" sobre os efeitos da manutenção do acordo.

Os resultados são congruentes com precedentes investigações, que atualmente sugeriam um desempenho inferior discípulo a raiz da má alimentação, tal como com outros estudos que mostraram o momento em ratos de laboratório, que a acrecencia de gorduras pode dar desordens neuronais.

Os autores atribuem esse efeito a que até os 3 anos, a cabeça está formando a grande diligência, com o que qualquer mudança nas condições alimentícias amplifica seus efeitos a essa idade.

O presente estudo foi empregado apontamentos de alguns pequenos ganhos, enquanto as adicione 90 no Reino Unido, e que hoje havia sido usado para diversas pesquisas.

Os pais encheram formulários com as bebidas, refeições e quantidades de cada produto que lhes davam a seus filhos, a partir dos 3 anos até os 8 e meio, que é a idade em que se lhes submete os 'testes de inteligência Weschler', que têm presente tanto habilidades verbais como manuais.

Partindo destes apontamentos, distinguiram-se três tipos de dietas: 'processada', alta em gorduras e açúcares; 'antigo', rica em carnes e vegetais; e 'preocupada com a frescura', dominada por saladas, massas e cereais.

A partir desta classificação, foi possível confirmar uma empresa no meio de panela 'processada' e baixas pontuações no 'teste Weschler', ao mesmo tempo que a dieta 'preocupada com a energia' relacionava-se com melhores resultados nas provas.

Classe comunitário e educação

O registro deixou de ser significativa no tempo que se tinham em conta o resto de fatores sociais e ambientais que podem ajudar de forma negativa no acordo, como a classe coletivo, a educação dos pais, a idade da mãe e outros.

De igual modo, não foi possível relacionar a dieta dentro dos 4 aos 7 anos com a pontuação recebida a 8.

"A população de pequenos contemporâneos britânicos, uma dieta de baixo, associada com uma enorme ingestão de comidas processadas, gorduras e glicose na infância precoce pode ficar associada com um menor fração instruído com a idade de 8,5 anos".

"Não há patentizas a este respeito", comenta sobre estes resultados, o doutor Jesus Argente, professor de Pediatria na Cadeira Autónoma Da capital de portugal. "cogería as conclusões com grampos até o momento em que não tivesse resultados mais conclusivos".

Este competente lembre-se que "a má manutenção desde a infância que não só produz gordura", de forma que "se assemelhava possível que provoque algum género de dano no pacto".

"Mas o tema é suficientemente sério para não dizer que é reconhecido até o momento em que não estiver verdadeiramente".

Argente, que é ainda administrador do Laboratório de Investigação do Sanatório Gabando Universitário Criança Jesus e membro da rede Virtual de Alimentação, tornou-se parte de um grupo cosmopolita, uma experimentação com ratos que ainda relacionado com a má nutrição, com um dano desapaixonado.

"Os ratos que se tinham submetido desde divisão neonatal a dietas ricas em gordura apresentavam notoriamente uma perturbação neural".

Este artigo foi revisado por: Ava Gina 🏆 (1)
23 de janeiro