A dieta mediterrânica está relacionado com um melhor movimento dos espermatozóides

23 de janeiro
A dieta mediterrânica está relacionado com um melhor movimento dos espermatozóides 1

O Claustro de Múrcia (UMU) tem cooperado em uma pesquisa que identifica dois padrões alimentares das pessoas, "discreto" ou "mediterrâneo" e "europeu". A dieta "europeu", que se identifica pela compra acordo de carne vermelha, carne, pizza, lanches, doces e bebidas energéticas, ao mesmo tempo que a dieta "contida" por compra alto de peixe, frutas, verduras, legumes e grãos(s) integrais. A ingestão de esta última está associada positivamente os homens com a proporção de espermatozóides móveis.

Estudiosos da UMU participaram de uma pesquisa, apresentado na assembléia anuo da Sociedade Revestimento de Medicina Reprodutiva, em Orlando (ESTADOS unidos) e dirigido por especialistas da Escola Pública do Claustro de Harvard (EUA), que examina como os padrões alimentares em que os homens se relacionam significativamente com um movimento espermática maior.

O objetivo deste trabalho foi estudar as associações entre os padrões alimentares e os fatores seminais em homens jovens saudáveis.

Os participantes eram voluntários que estavam realizando seus estudos universitários em Rochester (EUA) através de 2009 e 2010.

O estudo, o primeiro que se efetua em jovens do sexo masculino saudáveis, incluiu 188 homens para os que conseguiram todos e cada um dos fatores espermáticos e os padrões alimentares através de um exame de frequência de uso de comestíveis (CFA) padronizado.

Os dois hábitos de aquisição que se identificaram foram "contida" ou "mediterrâneo" e "branco".

Ao passo que a dieta "branco", que se identifica pela compra elevado de carne vermelha, carne, pizza, lanches, doces e bebidas energéticas, a dieta "contida", que se identifica pela compra alto de peixe, frutas, verduras, legumes e grãos(s) integrais.

Atrás o ajuste para possíveis fatores de confusão – nicotismo, a ingestão total de calorias, duração de continência erótico, censo de massa anatômico ou elevação de exercício-, a compra de uma dieta "discreto" associou-se positivamente com direitos de espermatozóides móveis (p-valor=0,03).

Por conseguinte, uma maior conexão com a dieta "discreto" relaciona-se significativamente com um movimento espermática maior.

Mas a dieta não parece ter tido um impacto sobre a forma ou o número de espermatozóides e a motilidade foi prejudicada.

Os regimes "ocidentais" relacionaram-se com uma diminuição no movimento, inclusive depois de levar em conta fatores como o povo ou linhagem, os antecedentes de nicotismo e o catálogo de massa anatômico (IMC).

Hoje, o Conjunto de Pesquisa em Frescura Pública e Epidemiologia está em paralelo com este trabalho na Área de Múrcia, através de um projeto de pesquisa financiado pela Fundação de Sêneca.

Este trabalho está em suas últimas fases, e em alguns meses, vai saber se em homens jovens locais estão ou não descobertas semelhantes.

O mediterrâneo ou branco?

Os padrões alimentares são obtidos mediante o preenchimento de um CFA. Um CFA essencialmente nos aponta o tipo e constância de alimentos que ingerimos, por regra geral em nossa dieta.

Se conseguem apontamentos tanto de aquisição de micronutrientes (fontes de energia, etc.) como de macronutrientes (proteínas, lipídios, etc.) e também a ingestão total de calorias. A partir desses apontamentos, e através de técnicas estatísticas de comparação fatorial, é possível conseguir os padrões de dieta dos respectivos sujeitos.

Vários trabalhos precedentes relacionam a ingestão de frutas e vegetais, ricas em energia, com uma melhor excelência seminal. A hipótese de partida é que os antioxidantes contidos em tais comestíveis podem assistir a progredir, ou quando menos, assegurar, essa excelência espermática, abaixando ainda mais os processos de angústia oxidativo.

Escasso, praticamente todas as batalha anteriores centraram-se na comparação personalizado de micro e macronutrientes (consumo de frutas e legumes, a contribuição de energias, etc.).

Desta forma, são poucas as brega que estudam os padrões alimentares com relação à excelência seminal.

Em suma, esta abordagem aponta que não comemos comestíveis n.os (carne, legumes, chusco, refrigerantes, etc.), mas temos padrões de nutrição regulares e podem existir relacionados com a excelência seminal.

A excelência seminal é definida pelo trio fatores primordiais, a saber: a concentração ou consistência espermática (milhões/ml), o movimento espermática (% de espermatozóides móveis) e o formato espermática (% de espermatozóides com formas normais).

Este artigo foi revisado por: M. Gibral 🏆 (1)
23 de janeiro