A gordura de pele de azeitona atrasa a aterosclerose

23 de janeiro
A gordura de pele de azeitona atrasa a aterosclerose 1

O espectro da aterosclerose poderá ser adiado ingerir óleo de pele na dieta comum. No momento, uma pesquisa elaborado pelo Centro de Pesquisa Biomédica em Rede-Fisiopatologia da Adiposidade e da Manutenção (Ciberobn), em auxílio com a Faculdade de Gordura de Sevilha, correspondente ao Conselho Superior de Investigações Científicas (CSIC), e com a universidade de Zaragoza, chegou a esta conclusão em modelo murino.

"Administrando os ratos unto de pele de centrifugação refinado nós acabamento elevar por dois anos em que tarda em aparecer da aterosclerose", conforme explicou ao JORNAL MÉDICO entre os autores do estudo, Jesus Arriscado, do Departamento de Bioquímica e Biologia Molecular e Incomunicável da Cátedra de são paulo. Os estudiosos têm empregado uma colher de preparação de unto de azeitona, proveniente do resto da pele, que tem desenvolvido, através de um desempenho físico do time do Colégio de Gordura, dirigido por Valentina Ruiz.

"A ideia do estudo surgiu porque a gordura de pele tem uma concentração elevada de certos componentes da gordura de azeitona virgem, e, em consequência, estes compostos podiam ter uma enorme atividade biológica. O que acontece é que a maior parte dos óleos de pele que há no mercado perdem praticamente todos esses componentes, que são tão interessantes. Por este motivo, realizamos um preparado com uma limpeza suave, com temperaturas mais baixas", afirmou Javier Sánchez Perona, do chamado centro. "Os compostos em que encontrámos resultados mais interessantes são os triterpénicos (os ácidos oleanólico e maslínico), álcoois graxos lineares e esteróis, como o beta-sitosterol".

Para verificar as vantagens da gordura de couro de centrifugação refinado, os cientistas escolheram 26 ratos de um par de meses de idade, os que submeteram a fome enquanto 18 horas. Lhes anestesiaron, eles extraíram sangue e lhes divididieron ao acaso em trio conjuntos de equivalente elevação de colesterol. Os animais permaneceram em gaiolas esterilizadas submetidos a ciclos de 12 horas de luz e exatamente as mesmas de obscuridade, com livre acesso ao linfa e o almoço.

O primeiro conjunto, o controle, recebeu a dieta do rato; o ajudante, a dieta do rato suplementada com 10 por cento de óleo de oliva virgem quente preparação, e a celestina, a dieta do rato enriquecida com 10 centena de gordura da pele. Os regimes prepararam-se semanalmente e forneceram durante onze semanas.

Passado este período, os autores deste trabalho não observaram alterações no peso corpóreo dos diferentes conjuntos. Menos ainda certificaram mudanças no peso do fígado pelo lucro oleoso dos regimes, e o colesterol não registou alterações significativas em nenhuma das intervenções dietéticas, em afinidade com resultados anteriores. Nem o colesterol ou triglicéridos plasmáticos apareceram prejudicados no conjunto de gordura da azeitona; sem, evidentemente, revelou uma redução de exatamente os mesmos do conjunto de animais alimentados com o óleo da pele.

No que se refere ao efeito dos diferentes gêneros de nutrição sobre o desenvolvimento da lesão ateroesclerótica por trás da compra de diferentes tipos de dietas, os estudiosos mostraram que os animais cuja dieta foi enriquecida com unto de azeitona apresentaram maiores valores de lesão que os ratos pertencentes ao conjunto controlo. Em contrapartida, o conjunto que recebeu o gordura de pele apresentou valores significativamente mais baixos do que os animais alimentados com as outras duas dietas.

Marcadores intermediários

Uma vez comprovada a eficácia e segurança em ratos, como assinalou Jesus Ousada, "nossa mãe, na fase em que nos encontramos é testar os benefícios deste óleo de bagaço de centrifugação em humanos. Vamos fazer através de marcadores intermediários, como o colesterol, os triglicerídeos, lipoproteínas de alta concentração e marcadores inflamatórios como o prótido C reativa. Se estes marcadores vão bem supomos que o óleo de bagaço ainda vai funcionar em um longo prazo, iludindo ou atrasando o espírito da lesão ateroesclerótica".

Este artigo foi revisado por: M. Gibral 🏆 (1)
23 de janeiro