Advertem corrupção microbiana em sucos de laranja espremido em bares e restaurantes

23 de janeiro
Advertem corrupção microbiana em sucos de laranja espremido em bares e restaurantes 1

Cientistas da universidade de Valência analisaram sucos de laranja natural e confeccionados com as máquinas de estabelecimentos de restauração e reconheceram que 43% das amostras superava os limites de enterobactérias estabelecidos pela carta. Os estudiosos aconselham manipular adequadamente as laranjas, adecentar bem as máquinas de venda automática e gerenciar o suco no instante em vez de armazená-lo em canecas metálicas.

Cerca de 40% do suco de laranja natural, que se consome em Portugal se prepara em bares e restaurantes, mas segundo uma pesquisa de estudiosos da universidade de Valência (UV) manipulação indevida das laranjas e a falta de limpeza dos dispositivos utilizados ao longo do processo favorecem a contaminação bacteriana do produto.

O equipamento foi recolhido 190 lotes de laranja espremido em diversos serviços de recuperação e exatamente no mesmo dia, foi analisado o seu conteúdo microbiológico.

Os resultados revelam que 43% das amostras excediam a altura de enterobactérias estabelecido pelas regulamentações alimentares de Portugal e da União Europeia, e em 12% o limite de microrganismos aeróbios mesófilos.

Também se observou a presença de Staphylococcus aureus e espécies de Salmonella em 1 e 0,5 %, respectivamente, para os lotes examinados, como os apontamentos que são publicados na revista Food Controle.

"Geralmente, uma proporção de sucos de laranja consumidos com urgência, mas normalmente continuam em jarras de faca inoxidável sem proteção alguma", avisa Isabel Sospedra, entre as autoras do estudo.

Na verdade, os cientistas têm detectado que aqueles sucos que se sustentavam em canecas metálicas aparecem níveis "inadmissíveis" de enterobactérias em 81% dos casos, e em 13% com relação aos aeróbios mesófilos. Carente, o tempo que a água acabado de preparar é servido em copos de vidro estas percentagens são dismuyen ao 22 e 2%, respectivamente.

"A isto há que acrescentar que as tramas de venda automática têm um sem-número de superfícies de contato e muitas cavidades, deixando a infecção microbiana e sua consecutivo rastejamento no momento em que se realiza o suco", acrescenta a SINCRONIZAÇÃO a estudiosa.

A conclusão é a albumina. Para garantir o frescor dos usuários, os especialistas aconselham fazer uma limpeza adequada e limpeza dos quadros exprimidoras como jarras, em que se guarda a água, mas constantemente é melhor levá-lo à medida que se gera.

A compra de suco de laranja é comum nos serviços de reabilitação devido a sua degustação e valor nutricional. Esta bebida é famosa por seu alto teor em vitamina C, carotenóides, compostos fenólicos e outras substâncias antioxidantes.

Em 2009, a população de portugal tomou 138 milhões de litros de suco de laranja (depende apontamentos do Ministério do Meio ambiente e, Meio Rural e Marinho), de que em torno de 40% tomaram-se de forma natural em estabelecimentos de hotelaria.

Este artigo foi revisado por: M. Gibral 🏆 (1)
23 de janeiro