Mais da metade dos pais não percebe o excesso de peso dos seus filhos

23 de janeiro
Mais da metade dos pais não percebe o excesso de peso dos seus filhos 1

SEEN e SEEDO lançam uma campanha para evitar os excessos alimentares, enquanto a Natividade. Em Portugal estima-se que 14% da população gabando sofre corpulência e mais do dobro excesso de peso.

Uma realidade paulatino que não percebe que 60% dos pais desses menores.

Desta forma, observa os apontamentos apresentados pela Sociedade De espanha de Endocrinologia e Manutenção (SEEN), por ocasião da XV impressão do Dia de Semelhante Obesos, planejado, bem como a Sociedade De portugal para o Estudo da Corpulência (SEEDO).

Esta falta de percepção resulta de uma investigação hispano, ordenado pelo conselheiro do Claustro Autónoma Da capital de espanha (UAM) Fernando Rodriguez Artalejo.

A percepção que têm os pais das morbilidades de seus filhos é "distorcida", apesar de que Portugal encontra-se hoje para o início do ranking de corpulência gabando na Europa, com taxas semelhantes às do Reino Unido.

O direitos de pequenos corpulência está "bastante próximo ao dos Estados Unidos, que sofrem com esta alteração a 15% da população infantil, "tudo indica que vamos superando" esse problema nos próximos anos.

"Estamos à frente da primeira geração que pode chegar a viver menos que os que lhe antecedem".

E ainda expõe que existem pessoas com flacidez e excesso de peso que não percebem o problema em si mesmos.

Desta forma, inclusive 24% dessas mulheres não percebem seu excesso de peso, ao passo que nos homens, a comissão que "parece acostumado" eleva-se, inclusive, com 30%.

"Temos o número da dieta mediterrânea e temos diminuído o exercício", reconhece o médico Lucas, insistindo no "grave problema" que representa o excesso de peso e adiposidade frente às diferentes doenças associadas, tanto cardiovasculares como respiratórias e até mesmo de neoplasia.

'Come saudável e cuide de sua cintura'

Para isso, e contra os excessos alimentares próprios da Natividade, SEEN e SEEDO são arrojada, a campanha " Goza da Páscoa desprovido agigantar de peso.

Come saudável e cuide de sua cintura", que recordam que "se podem celebrar também estas festas sem negligenciar um certo controle dietético".

As duas entidades defendem mudar o menos possível os hábitos de nutrição, sustentar uma taxa de pontualidade de horário para as refeições e se acostumar com 30 minutos de exercício diário, uma vez que desta forma se pode "compensar as calorias extras nas refeições de natal".

Insistem em "não deixar de tomar fruta", contornar os petiscos e molhos industriais do mercado a favor de outras caseiras à base de legumes, ervas aromatizadas iogur desnatados ou nos qual a sua receita.

Este artigo foi revisado por: M. Gibral 🏆 (1)
23 de janeiro