Os bifidus auxiliam a prevenir catarro e resfriamentos para os pequenos

23 de janeiro
Os bifidus auxiliam a prevenir catarro e resfriamentos para os pequenos 1

Os pais que desejam proteger seus filhos este frio dos incômodos sintomas de resfriamento coletivo ou do resfriado é possível que tenham uma solução ao alcance de sua mão sem ter de recorrer aos anticatarrales e antitússivos: acento que seus descendentes consumam comestíveis com 'Lactobacillus' e 'bifidus', os conhecidos como probióticos.

"Isso é basicamente essencial se você valoriza tanto o estabelecimento norte-americano do medicamento (FDA) como o Conselheiro de Energia Pública se posicionaram contra o uso de produtos contra a convulsão e o catarro em menores de um par de anos.

Enquanto que, a Empresa, de Usuários de Produtos de Saúde, apoiados pela FDA, foi proposto que de forma voluntária se altere a rotulagem destes produtos, a fim de que reflitam que não devem ser utilizados em crianças com menos de quatro anos", determinam os autores de um primeiro questionário que verifica a utilidade dos probióticos na prevenção e no tratamento da gripe sazonal.

No Reino Unido, a Comissão de Fármacos Humanos da Empresa Reguladora de Medicamentos e Produtos para a Frescura (MHRA, suas iniciais em inglês) decidiu agora condenar os anticatarrales (OTC) em pequenos menores de seis anos.

No que se refere a Portugal, não existem recomendações oficiais sobre esses produtos, mas nas palavras de Alfonso Delgado, líder do Departamento de Pediatria do Conjunto Sanatório Da villa de madrid, "o melhor é evitá-lo, tanto que costumam exercer muito freqüentemente como um placebo. O inconveniente é que os progenitores de forma frequente vão à consulta e não concebem sair sem a prescrição de um produto, seja ou não de fórmula. Estes medicamentos muito freqüentemente são prejudiciais para os pequenos e na maior parte das vezes supérfluos".

A possível relação a seu emprego, que deverá ser ratificada em futuras pesquisas, acaba de brindar o jornal 'Pediatrics'. Em seu último número, um trabalho elogiado o valor acompanhante dos alimentos funcionais (aqueles produtos nutritivos que têm algum efeito frutuoso para a criatura, entre aqueles que estão os probióticos e os prebióticos).

Ao mesmo tempo em que os primeiros (leites fermentados, iogur ou certas bebidas) possuem microorganismos vivos que, sim, estão na criatura humana; os segundos são produtos alimentícios não assimiláveis, que estimulam a subida de espécies bacterianas presentes no cólon, como a fibra.

O evento busca, realizada na China e co-realizado por Shuguang Li, do Departamento de Medicina Preventiva no Claustro de Tongji [Shanghai] incluiu 326 pequenos e pequenas de três a cinco anos, que foram designados para sexo a três conjuntos dependendo do gênero de borracha que estavam a consumir.

Desta forma, entre os conjuntos recebeu o produto com 'Lactobacillus acidophilus'. Esta semente medra de forma natural em uma enorme diferença de gêneros alimentícios (leite, peixe, cereais...] e está presente o civil humano tal como o espaço vazio e a matriz. Um auxiliar conjunto comeu o láctico, contendo lactobacillus, mas com uma cepa de outra semente, Bifidobactérias.

Por fim, o terceiro conjunto consumiu creme desprovido 'enriquecer', como placebo. Todos e cada um dos menores tomaram as fórmulas (de teste) um par de vezes por dia através de novembro de 2005 e maio de 2006.

Os que tomaram as bactérias faltaram menos o cole

Os relatos revelam que, em contraste com os pequenos que tomaram placebo, os alimentados com uma ou as duas bactérias "faltaram menos ao instituto e tiveram constipados mais curtos", insistem os autores. Igualmente, por pôr um exemplo, os pequenos que se constiparon e também ingeriram o 'Lactobacillus' tiveram um 53% menos de décimos; uma comissão que se elevou inclusive 72% no conjunto tratado com Lactobacillus/Bifidobactérias, em equilíbrio com os alimentados com a borracha com placebo.

Quando a incidência de processos catarrales, os apontamentos foram de 41%, 62% e 28%, respectivamente. Diferente do ar de envergadura para os estudiosos é que a "prestação de serviços notariais, com o conjunto de controle, o emprego de antibióticos foi ainda consideravelmente mais insuficiente através dos tratados com os dois gêneros de leites probióticas".

"Nosso trabalho é o primeiro que certeza os benefícios de dirigir preparados com duas cepas bacterianas em vez de uma. Em função das prescrições de antimicrobianos nos primeiros anos de vida tem essenciais benefícios, uma vez que reduz as reações adversas, os custos e a contingência de desenvolver resistências", esclarecem os estudiosos.

Mas, tanto o computador estudioso como os autores de estudos anteriores, em que se verificou que estes comestíveis funcionais têm efeitos vantajosos sobre as cólicas e a manifestação de cólon enojadizo -além de agigantar as defesas do organismo-, insistem em dizer que não todos e cada um dos probióticos são iguais. Sua excelência depende da quantidade e da complexidade de bactérias que contêm.

Este artigo foi revisado por: M. Gibral 🏆 (1)
23 de janeiro