Parar de fumar e o fluido de vontade, 2 condições para acabar com o hábito em 2011

Os especialistas aconselham ir ao médico ou, pelo menos, o boticário para conhecer os melhores produtos para deixar a picada.

A entrada em actividade de o acontecimento lei antifumo do próximo intervalo, 2 de janeiro, vai animar muitos cidadãos a aspirar parar de fumar.

Para isso terão de estar persuadidos de que desejam deixar de fumar e ter bastante força de vontade para manter o seu objetivo, explica o gerente geral da Empresa para o auto-cuidado de Fortaleza (Anefp).

“Há que tomar a resolução de verdade e, uma vez tomada, intervém o brio de vontade, que é essencial”.

Persuadido de que 2011 será um bom ano para realizar este espírito que, assim como o de afinar, é entre os mais desejados no ano novo, por parte dos espanhóis.

Em sua opinião, o evento lei do charuto, que proíbe fumar em todos e em cada um dos bares e restaurantes, você vai colocar o fumante em “uma situação incomoda”.

“Unida ao núcleo de custos do charuto e à conjuntura económica, que menos é mais rico que tenhamos vivido nos últimos tempos, será um motivo para parar de fumar”.

A principal desvantagem é a dependência, provavelmente não tanto a acústica, como a psíquica; esta última é a mais difícil de cumprir, no caso de aqueles fumantes com maior hábito.

Nestes casos, tendo presente que “a cadeia é entre as substâncias mais viciantes que existem”, costuma ser necessário o auxílio de um competente.

Desta forma, uma pesquisa realizada pelo Conselho Nacional para a Prevenção do Nicotismo (CNPT), 27,5% dos fumantes declara ter tentado parar de fumar alguma vez no último ano.

No entanto, 45% consegue existir isento fumar menos de uma hebdómada e apenas um quarto consegue parar de fumar enquanto estiver a 3 meses.

Ao mesmo tempo em que a proporção dos que conseguem deixar a cadeia, não exceda a 4,3%.

Esta baixa taxa de conclusão pode ser explicado, em parte, ao fato de que a maior parte dos fumantes que tentam parar de enrolar o faz sem aliança.

“É verdade que para parar de fumar há a necessidade de um alto grau de causa, mas, além disso, é imprescindível contar com medidas de apoio apropriados que aumentem as possibilidades de concretização”.

No momento em que se interrompe a entrega de alcalóide, aparecem os sintomas de frugalidade: ansiedade, irritabilidade, desconforto, problema de concentração, irritabilidade e aperto para dormir, entre muitos outros.

Mas há que ter em consideração que estes sintomas começam a abreviar após 2 ou 4 semanas isento de fumar.

“Se você leva fumando um bom tempo débito ir para o apoio externo, especialmente para os médicos especialistas em deshabituación do charuto.

Establecerle diretrizes, podem treinar determinados muitos produtos do mercado para parar de fumar e que são eficientes”.

“A receita deve ser pessoal, que vai depender da personalidade do fumante, a angústia a que está submetido cotidianamente, o ciclo que leva fumando e entusiasmo.

“É o médico que dívida decidir o que é mais apropriado, não devemos consumar a confusão de entregar receitas estendidas”.

Lembre-se que os escritórios de botica são ainda um ponto adequado no que achar aliança, uma vez que muitos institutos oficiais de farmacêuticos de Portugal organizam, periodicamente, campanhas para aconselhar e ajudar os fumantes a parar de enrolar.

Colocar data e projetar

Uma vez consciente de parar de fumar, recomenda-se programar bem os próximos passos a entregar.

“O primeiro é fixar uma data para deixá-lo, procurando aliança capacitado”, ao passo que aconselha “fixar pequenos prazos de sobriedade, como dias ou semanas, em vez de pensar em não voltar a fumar continuamente”.

Além de ser criado desta motivo para prender o jejum, é conveniente fazer uma lista das situações em que é mais simples recair sobre o hábito de fumar e prever atividades dilema.

Você tem que escovar os dentes logo após as refeições, evitar atividades sedentárias e substituí-las por passeios ou da prática de esporte, respirar profundamente várias vezes seguidas nos momentos de exaustão e evitar os locais com grande concentração de fumantes.

Toda vez que se possa, aconselham trocar as bebidas alcoólicas e o café por sucos naturais ou ter constantemente um boli desocupado para amansar a ânsia de ter um justas no meio das pinças.

Outras dicas para arrostrar o jejum é a tomada de comestíveis, ricos em energia, principalmente a vitamina B, ocupar os momentos de asueto com um passatempo.

Cultivar técnicas fáceis de relaxamento para os momentos em que temos vontade de fumar, tomar linfa abudantemente e aproveitar balas ou chicletes sem sacarina, no momento em que sentimos necessidade de ter beliscão no buraco.

Pastilhas elásticas, patches e pastilhas

No ano passado, o mercado de medicamentos sem prescrição para a deshabituación do cigarro medró 11% em relação a 2008, deste modo foram vendidos mais de 1,1 milhões de unidades.

“As possibilidades de culminação ao parar de fumar, se recorremos ao apoio farmacológico são maiores”.

Através dos medicamentos que podem assistir ao parar de fumar, figuram os baseados em tratamento de substituição com alcalóide (TSN).

Este género de medicamentos baseiam-se na administração controlada de alcalóide com a intenção de reduzir gradualmente os sintomas de continência e facilitar, desta forma, a deshabituación do fumante.

Podemos encontrar exemplos de terapêutica de substituição com efeito, na forma de patches transdérmicos, pastilhas e comprimidos chupetear.

Em Portugal, esta classe de medicamentos são usados em escritórios de botica sem precisar fórmula médica.

O que representa uma enorme bem-estar para os fumadores que querem deixar de fumar, uma vez que não precisam ir ao médico para iniciar a cortesia.

O médico pode recomendar medicamentos com composição ainda não financiados, é o caso daqueles com bupropiona ou vareniciclina como princípio ágil.

Nestes lembra que, “infelizmente”, há apenas um fármaco financiado, mas o fim de sua prescrição não seja parar de fumar.

“A sociedade teria de ser ajudada se você deseja parar de fumar com todos e cada um dos meios possíveis”, e isso inclui, inclui o empréstimo de drogas para desacostumbrarse do hábito.

“O Estado entra com uns grandes benefícios para seus cofres do Estado, e choca-se que a guerra contra a picada não financiem. A segurança benéfico no jornal nenhum produto para parar de fumar”.

“Não há que se preocupar se um falha, sempre se pode voltar a iniciar”, adverte García Gutiérrez, para quem o principal problema se encontra na falta básica de uma educação de demissão de aquisição através dos mais jovens.

“A inelegibilidade é a queda de educação, o torneio contra a cadeia deve encontrar-se mais na educação, os pés no chão e no raciocínio, mais do que na exclusão.

Devem desenvolver-se todos e cada um dos sacrifícios realizados e por ter, a fim de que os jovens comecem a fumar; e não há que acidificação da vida aquele que você quer fumar, enquanto que não se danifique o fulano não há que tratar o fumante como um criminoso”.

Este artigo foi revisado por: M. Gibral 🏆 (1)
23 de janeiro