Portugal é o terceiro estado europeu com mais tratamentos de abundância

23 de janeiro
Portugal é o terceiro estado europeu com mais tratamentos de abundância 1

A autoridade da Sociedade De espanha de Abundância, Profecia Coroleu, apresentou hoje, em uma coroa de imprensa, os últimos apontamentos recolhidos por a organização de um registo em que participaram de forma voluntária 130 centros que se dedicam a estas técnicas.

Em 2006, foram gerados nesta comarca mais de 30.000 ciclos de inseminação artificial e mais de 50.000 fecundaciones in vitro e microinyección espermática. O 2 por cento dos nascimentos registados em Portugal, enquanto naquele ano foram causados por estas técnicas, ao passo que, em 2005, o direito de 1,6 por cento.

O médico assinalou que em Portugal as taxas de gravidez obtidos estão bastante acima da média europeia, com 39 por cem, contra 30 por centena de a União Europeia.

80 por cento das pacientes que continuam com um tratamento in vitro têm uma idade compreendida dentro dos trinta e quarenta anos, e o 55,7 por centena de receptoras de óvulos superam os quarenta.

No que se refere às causas de esterilidade mais usuais, o fator masculino esteve presente em 32,7 por cento dos casos, o efeminado é responsável por 26,4 por centena, ao passo que as causas mistas estiveram presentes no 23,3 por cento. José Antonio Castela, director do registro, afirmou que o preço de gestações únicas somou pouco a pouco, em prejuízo de gravidez múltipla dos últimos tempos.
O destro foi destaque que se tem observado uma predisposição para diminuir o número de embriões transferidos, começando pelo quarto ano contíguo que as transferências de duas ultrapassem as de trio.

No que se refere aos partos, mais de 75 por cento foram únicos, duplos continuam descendo de 30 por cento em 2005 para 21,9 em 2006 e os triplos representam números mínima -1,7 por cem-. O número de abortos são relativas ao 17 por cem. Apesar do declínio de nascimentos múltiplos, os percentuais do registro hispano são superiores à média europeia, 24 por centena na frente de um 20 por cem.

"Se quisermos continuar abaixando o preço de gravidez diferente agora, não devemos ceder dois embriões, mas devemos começar a ceder um único feto", sublinhou Coroleu, que recordou que, desta forma, se faz em países como a Suécia, a Finlândia ou a Bélgica. Castela foi divertido para os centros de reprodução assistida a que optam por implantar um único feto -hoje em 60 por cento das transferências são utilizados dois-, por ser melhor para a fortaleza da mãe, reduzir a morbidade dos recém-nascidos e acarretar um custo menor do que uma gravidez composto.

Desprovido, os especialistas coincidem em que não é aceitável a imposição, por lei, a implantação de um único feto, uma vez que 80 por cem as clínicas que realizam estas técnicas são privadas.

Por seu lado, o chefe geral de Terapias Avançadas e Transplantes, Admirado Silva, disse que no final do ano em curso vão pôr em marcha os registros nacionais de centros e atividades associadas à reprodução humana assistida, entre as principais demandas de esclarecimento de cidadãos e profissionais. A batida deve incluir uma detalhada assessoria sobre as técnicas associadas à Reprodução Humana Assistida, que se realizam em todos e em cada um dos centros, tal como a sua eficácia e direitos de realização.

Silva foi ousado, igualmente, que o departamento que dirige Bernat Soria espera agonizar em 2010, a batida de doadores de gametas, que exigirá um desenvolvimento informático que garanta a confidencialidade, bem como a ajuda das comunidades autónomas.

Este artigo foi revisado por: M. Gibral 🏆 (1)
23 de janeiro